Imposto no Brasil é até cinco vezes maior do que o valor cobrado em países vizinhos

  • 30/11/2021



     

    Imposto no Brasil é até cinco vezes maior do que o valor cobrado em países vizinhos

    Os impostos sobre mercadorias brasileiras chegam a ser até cinco vezes maior do que o valor do tributo cobrado nos mesmos itens em outros países. 

    O relatório “Estatísticas Tributárias na América Latina e Caribe 2021” mostra que a carga tributária no Brasil representa 33,1% do PIB (Produto Interno Bruto), menor apenas que a de Cuba (42%). País vizinho e uma das principais portas de entrada do contrabando em terras brasileiras, o Paraguai tem nos tributos 13,9% do PIB –19 pontos percentuais a menos que o Brasil.

    Carga tributária nos produtos brasileiros

    Confira os valores dos impostos praticados sobre os produtos brasileiros comparados ao Paraguai.

    Item

    Carga tributária no Brasil

    Carga tributária no Paraguai

    ISC (Imposto Seletivo ao Consumo)

    IVA (Imposto sobre o Valor Agregado)

    Cigarros, vaporizadores e similares

    70% a 90%

    18%

    10%

    Vestuário

    18% a 35%

    -

    10%

    Eletrônicos

    51%

    1%

    10%

    Brinquedos

    40%

    -

    10%

    Calçados

    39%

    -

    10%

    Defensivos agrícolas

    36%

    -

    10%

    Óculos de sol

    44%

    -

    10%

    Informática

    24% a 33%

    1%

    10%

    Medicamentos

    30%

    -

    5%

    Cosméticos

    66%

    5%

    10%

    Aparelhos de som

    36%

    1%

    10%

    Bebidas

    38% a 49%

    5% a 11%

    10%

    O cigarro está entre os produtos mais afetados com a diferença de tributação no Brasil e no Paraguai. Em território brasileiro, os impostos que incidem sobre o produto final variam de 70% a 90%, a depender do ICMS cobrado pelo Estado, de acordo com pesquisa Ibope Inteligência/ Ipec, divulgada pelo Etco (Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial), em 2021. No país vizinho, o imposto cobrado da indústria do tabaco é de 18% –uma das menores taxas do mundo.

    O setor de informática também é bastante afetado pela diferença, conforme o estudo. Em território nacional, os impostos incidentes sobre os itens estão entre 24% e 33%; já no país fronteiriço, o tributo sobre os artigos de informática é de 1%.

    Modelo tributário

    Para o ex-secretário nacional de Segurança Pública e CEO do ICL (Instituto Combustível Legal), Guilherme Theophilo, uma revisão do modelo tributário do Brasil é urgente e essencial para diminuir o espaço do contrabando no mercado nacional e aumentar a concorrência leal no país.

    “A tributação excessiva no Brasil incentiva a ilegalidade. As empresas que cumprem com a legalidade e pagam seus tributos participam de uma concorrência desleal, porque, naturalmente, o consumidor vai procurar o produto mais barato. Estamos à espera de uma revisão do sistema tributário”, afirmou.

    Para os especialistas, o país precisa ter um tributo inteligente, que favoreça a arrecadação da União; combater com inteligência o crime de lavagem de dinheiro, comum nas transações do contrabando; e participar do fortalecimento do Mercosul, para reforçar uma cooperação com os países vizinhos para coibir o contrabando.

    “A indústria sabe que haverá algum nível de mercado informal, como tem nos países mais desenvolvidos da Europa e nos Estados Unidos. O problema é que, no Brasil, o contrabando ganhou um tamanho que desincentiva a indústria a investir, provoca perdas bilionárias para o governo e tem o dinheiro lavado a favor do crime organizado”, disse Luciano Godoy, um dos autores do estudo “Mercado Ilegal no Brasil: Diagnóstico e Soluções”.

     

    Fonte: Com informações do Poder 360


Fique por dentro das notícias on-line

Veja todas as notícias on-line
Subir ao topo
91 8111-4548
91 8111-5039